Hoje, a pouco mais de 2 dias para o término do mês de Ramadan do ano 1422 da Hégira, equivalente a 12 de dezembro de 2001, a comunidade muçulmana espalhada por todas as partes do planeta, em número aproximado de 1 bilhão e 400 milhões de seres humanos, de maneira coerente com os ensinamentos contidos nos Pilares da Prática Islâmica, jejuou e orou a DEUS, O ALTÍSSIMO, rogando que haja paz justa e duradoura em todo o mundo.

Sabemos que são necessários muitos esforços, seja individualmente, seja coletivamente, para o alcance de uma justiça social verdadeira.  

Em todos os pontos do nosso planeta, existem sofrimento e dor, e a humanidade, lamentavelmente, vem repetindo erros já consagrados historicamente, num absurdo justificar de erros por erros.  

Os problemas continuam a causar sofrimento e dor, quando  há muito tempo já poderiam ter sido solucionados. 

Muito se fala em paz, e todos querem paz, desejam a paz, e dia a dia mais e mais pessoas sofrem a falta de paz . 

São inúmeras as violências sociais que por vezes culminam em atos beligerantes.  

Frutos decorrentes da exploração do ser humano pelo próprio ser humano, servil ao capital usado pelos interesses escusos, hoje já cinicamente confessos da manipulação dos interesses e dos direitos reais, que são tornados mutáveis, ao sabor das controvérsias geradas pela sazonalidade dos interesses do poder econômico insano. 

A fome pode ser solucionada só que, ao que parece, não há interesse de que todos tenham alimento.  

A saúde, pode ser estabilizada através de uma medicina preventiva, aliada ao sanitarismo e a uma metodologia que dê qualidade de vida às pessoas do planeta. 

As epidemias do momento atual são reprises de moléstias do passado, fortalecidas pelo descaso e pela inconseqüência dos vários segmentos da humanidade. 

Todos querem paz. Mas afinal, o que é paz ?  

A paz silenciosa dos cemitérios ? A paz sentida por quem observa a imensidão de mortos e desaparecidos ? 

A paz fruto do submetimento bélico, armado, ou dissemidado por armas conhecidas ou outras inimagináveis ? 

O que impulsiona aqueles que continuam fazendo vítimas, e dizem querer paz, porém, em suas atitudes, nenhum ato ou determinação efetiva, demonstra a boa vontade de quem almeja a paz. 

A paz que alguns pretendem é a paz relativa, equivalente a resultados que mantenham a dominação sócio-econômica de um maioria por uma minoria.  

É a garantia da manutenção de uma avantajada condição econômica, conseguida às custas da exploração e da miséria de outros povos, e por vezes praticadas contra seu próprio povo.  

Ora, os chamados direitos humanos, não foram outorgados pelo próprio ser humano, mas sim por DEUS, O CRIADOR, e consequentemente, ele, ser humano, não pode revogar o direito de seus semelhantes, ainda mais, quando esses direitos, hipotéticamente, estão sempre acautelados por aqueles que são dominadores, que vez por outra ou quase sempre, rompem o limite de seus direitos, descumprindo suas obrigações.  

Dos direitos concedidos ao ser humano, pelo próprio CRIADOR, vários, sequer foram percebidos pelo próprio ser humano, e na famosa Carta dos Direitos Humanos, por exemplo, não consta o direito de ser pai ou ser mãe, todavia, ele é inquestionável. 

A perversidade da razão da força, faz com que alguns acreditem, que submetendo físicamente seus semelhantes, terão transformado em direito o arbítrio espúrio da sua iniquidade.  

A força da razão, sempre se sobreporá a torpeza e seus resultados, e a condição do êxito material , por mais longa e duradoura que seja, é e será sempre efêmera e inconsistente. 

A evolução benéfica da humanidade, tem que ser alcançada simultaneamente com a boa intenção e a boa ação, que são indissociáveis quando se espera resultados com qualidade benéfica a todos. 

Devemos todos, buscar intencionar e agir sempre positivamente rumo ao Bem e à observância dos direitos de nossos semelhantes, dos nossos próprios direitos, lado a lado com as nossas obrigações. 

Permita DEUS, TODO PODEROSO : 

– Que os injustiçados tenham Justiça. 

– Que os famintos tenham alimento. 

– Que os necessitados tenham supridas as suas necessidades. 

– Que os atingidos pelas doenças físicas e morais tenham a cura, e que deixemos de tratar os sintomas e tratemos as doenças causadoras de vários sofrimentos. 

– Que os feitos escravos de qualquer tipo de escravidão, vício ou degradação, tenham liberdade e a dignidade recuperadas. 

– Que os desabrigados, tornados sem lar, sem família, sem afeto e sem amor, sejam amparados numa esplêndida morada, recepcionados por irmãos fraternos que lhes dediquem carinho e atenção. 

– Que todas as mulheres, avós, mães, esposas, tias, irmãs, filhas, amigas sejam libértas das várias formas de opressão e violência, sejam tratadas com dignidade, docilidade e respeito. 

– Que crianças tenham acesso à saúde, alimento e educação de qualidade, recebam carinho e orientação correta, e que não sejam exploradas, espoliadas, abandonadas, e submetidas a um futuro incerto e tortuoso.

– Que os desempregados recuperem sua condição de sustento com dignidade e possam sempre se alimentar e alimentar seus familiares com o fruto da licitude e prosperidade.  

– Que todos enfermos nos hospitais, manicômios, orfanatos, asilos, sejam tratados com dignidade, carinho, competência e amor. 

– Que os trabalhadores façam de suas tarefas o galardão de suas existências, com esmêro, alegria e esforço, para a melhoria da qualidade de vida e quando esta alcançada, a sua manutenção.  

– Que todos aqueles que sofrem qualquer tipo de privação pelos diversos motivos possíveis, também usem a boa intenção e o raciocínio na busca de soluções para alcançar o progresso material e espiritual. 

– Que a Humanidade seja repleta dos valores do Bem, isenta da interferência do mal. 

– Que os seres humanos não sejam rotulados por suas condições sociais ou pelas cores de suas peles, e que todos tenham seu interior iluminado pela Graça e pela Misericórdia de DEUS, O ALTÍSSIMO. 

– Que alcancem a Paz Justa e Duradoura ! 

– Que vivam a Paz Justa e Duradoura ! 

– Que deixem como legado para as próximas gerações, a mesma Paz Justa e Duradoura ! 

– E que todos nós, seres humanos, de todos as raças e nações, compreendamos o sentido destas palavras e do seguinte texto corânico:

Em nome de Allah, O Clemente, O Misericordioso. 

“Ó Humanos, em verdade Nós vos criamos de macho e fêmea e vos dividimos em povos e tribos, para reconhecerdes uns aos outros.Sabei que o mais honrado, dentre vós, ante Deus, é o mais temente. Sabei que Deus é Sapientíssimo e está bem inteirado.”

ALCORÃO SAGRADO – Surat Al Hujjrat – Versículo 13.

Pedimos a ALLAH, PAZ para toda a sua criação, indistintamente.  

Para a PAZ, são necessários a humildade, o afeto, o carinho, a boa intenção e a boa atitude.  

A perseverança, a tranquilidade e a nossa manutenção no caminho do que é justo e verídico, somente DELE, virão, eis que Ele ensinou o método, o comportamento, as soluções e as maneiras pelas quais se terá, de forma efetiva, justa, ampla e permanente, a P A Z . 

“1) O Clemente.

2) Ensinou o Alcorão.

3) Criou as pessoas.

4) Ensinou-lhe a orientação (de como alcançar o êxito.)”

5) O sol e a Lua orbitam.

6) As plantas e as árvores se prostram em adoração.

7) E elevou o firmamento e estabeleceu a balança da justiça.

8) Para que não defraudeis no peso.

9) Pesai, pois, escrupulosamente, e não diminuam a balança.

10) Aplainou a terra para suas criaturas.

11) Na qual há toda a espécie de frutos e tamareiras com cachos,

12) E as gramíneas, com sua palha e as odoríferas.

13) Assim pois quais das mercês de vosso  Senhor desagradeceis ?

14) Ele criou o homem da argila, semelhante à da olaria.

15) E criou gênios do fogo vivo.

16) Assim, pois, quais das mercês de vosso Senhor desagradeceis ?

ALCORÃO SAGRADO – Surat Al Rahman – Versículos 1 a 16.

P A Z PARA TODOS !

Por Haidar Abu Talib

Fonte: sbmrj.org.br